"MORADA" – JOÃO PEDRO VAZ | 22/23/MAR

SEXTA 22 | MARÇO

21h30 | PEQUENO AUDITÓRIO 

SÁBADO 23 | MARÇO

18h00 | PEQUENO AUDITÓRIO

M/12 | 60 MIN. | ENTRADA GRATUITA

tvr 20 anos

 

"MORADA"

Um pequeno espetáculo de e com

JOÃO PEDRO VAZ 

luz e música (ao vivo) Pedro Pires Cabral

Produção: Teatro de Vila Real

 

Por ocasião do seu 20.º aniversário, o Teatro de Vila Real convidou João Pedro Vaz a criar uma peça original para assinalar esta data.

 

Cara Vila Real, minha antiga morada,

foi aí que fiz a minha primeira peça de sempre – “O Meu Coração a nu”, um delírio de Paulo Castro a partir do livro confessional de Baudelaire.

Estreou no auditório dos Bombeiros no dia 25 de agosto de 1994; vai fazer 30 anos.

Ainda não tinha nascido o teu teatro municipal.

Desde então, sou ator.

E desde esse remoto ano de 1994, guardo cadernos com notas de todas as peças que fiz. Sim, de todas. Foram algumas, muitas, muitas horas, muitos dias a morar em teatros. Talvez horas de mais, dias demais, teatros demais.

Alguns desses cadernos nunca mais voltei a abrir.

Mas este ano, em agosto, faço 50 anos.

Está na altura de os abrir e ver o que mora lá dentro.

E em março, o teu teatro faz 20 anos.

Todos temos, portanto, uma data para assinalar.

Foi por isso que aceitei voltar a ti, minha antiga morada, para vir falar de tempo e de teatro (serão a mesma coisa?) e do que isso faz ao corpo do ator.

O tempo em teatro chama-se muitas vezes duração, até há um poema sobre isso.

Este não é um espetáculo de carreira, mas é guiado por um ator que tem morada no palco.

Espero ver-te, em março, no auditório do teatro municipal, vulgo casa, tempo, morada.

 

P.S. O título deste meu espetáculo foi roubado a um livro de Rui Pires Cabral – os poemas dele e de outros poetas que moraram aí, podem bem vir a insinuar-se nos meus cadernos.

 

Duração: 60 min.

Classificação etária: M/12 anos

Entrada gratuita