CONVERSA DE BASTIDORES: JOÃO BOTELHO | 28/DEZ

QUARTA 28 | DEZEMBRO

21h30

M/12 | 60 MIN. | ENTRADA GRATUITA

 
CONVERSA DE BASTIDORES
JOÃO BOTELHO  
 
 

Com 43 anos de carreira e 16 longas-metragens realizadas, João Botelho (Lamego, 1949) é o cineasta português no activo com a filmografia mais vasta. Destacou-se em 2014 com “Os Maias”, adaptação da magistral obra homónima de Eça de Queirós. “Os Maias” foi o filme português mais visto desse ano, percorreu alguns dos maiores festivais de cinema da Europa e América Latina e estreou comercialmente no Brasil em 2016. Em 2010, o prestigiado realizador tinha já adaptado ao cinema uma outra obra maior da literatura portuguesa: “Filme do Desassossego” (a partir de “Livro do Desassossego”, de Fernando Pessoa), igualmente sucesso de bilheteira em Portugal e presença em vários festivais internacionais. Ao longo da sua carreira, João Botelho teve filmes presentes nos festivais de Cannes, Roma, Antuérpia, Rio de Janeiro, Veneza, Berlim, Salsomaggiore, Pesaro, Belfort, Cartagena e Varna, onde obteve vários prémios: dos quais se destacam prémio OCIC no Festival de Cannes para “Conversa Acabada”, melhor realizador no Festival do Rio de Janeiro, melhor filme em Salsomagiore e Pesaro, OCIC em Berlin com “Adeus Português”, premio da critica internacional de melhor filme em Veneza com “Tempos Dificeis” e prémio Mimo Rotella da melhor contribuição artística da Bienal de Veneza com o filme “Quem és Tu?”.

Em Portugal foi premiado com Globos de Ouro, com o prêmio da OCIC, da Sociedade Portuguesa de Autores e com diversos prémios Sophia.

Em 2005 foi agraciado pelo Presidente da República Jorge Sampaio com a prestigiada Ordem do Infante D.Henrique (Grau de Comendador).

João Botelho estará à conversa com Carla Carvalho,  jornalista na área da cultura, aluna da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e espectadora de quase tudo.  

 

Duração aproximada: 60 minutos

Classificação etária: M/12

Entrada gratuita

 

...

 

27/DEZ

“O ANO DA MORTE DE RICARDO REIS”

Um filme de JOÃO BOTELHO

o ano da morte de ricardo reis

Sessão integrada nas Comemorações do Centenário de José Saramago.

Enquadramento: intervenções de João Botelho e Frederico Neves.

«Fernando Pessoa, um dos maiores escritores da língua portuguesa estabeleceu um gigantesco universo paralelo criando uma série de heterónimos para sobreviver à sua solidão de génio. José Saramago, prémio Nobel da literatura em 1998, fez regressar o heterónimo Ricardo Reis a Portugal, ao fim de 16 anos de exílio no Brasil. 1936 é o ano de todos os perigos, do fascismo de Mussolini, do Nazismo de Hitler, da terrível guerra civil espanhola e do Estado Novo em Portugal, de Salazar. Fernando Pessoa, o criador, encontra Ricardo Reis, a criatura. Duas mulheres, Lídia e Marcenda são as paixões carnais e impossíveis de Ricardo Reis. “Vida e Morte é tudo um”, permite a literatura e o cinema também. Realismo fantástico.» João Botelho

Com: Chico Díaz, Victoria Guerra, Catarina Wallenstein

Drama | Portugal | 2020 | 129 min. | M/14

(Em colaboração com a Direcção da Organização Regional de Vila Real do PCP.)

 

29/DEZ

UM FILME EM FORMA DE ASSIM

Um filme de JOÃO BOTELHO

um filme em forma de assim

«É sem medida este UM FILME EM FORMA DE ASSIM.

Organizado como um sonho, estruturado como um musical e com textos, tanto ditos como cantados, que nos conduzem a situações inesperadas, caóticas e emocionantes, na tentativa de agarrar parte do que o inalcançável Alexandre O’neill nos deixou.» João Botelho

Com: Pedro Lacerda, Inês Castel-Branco, Crista Alfaiate

Drama | Portugal | 2022 | 101 min. | M/12