ABRIL, MAIO E JUNHO | 2019

ABRIL, MAIO E JUNHO | 2019

ABRIL, MAIO E JUNHO | 2019

 

Folheie a agenda online: https://issuu.com/teatrodevilareal/docs/tvr_abr_mai_jun_2019/1?ff=true

Num trimestre que apresenta mais de três dezenas de espectáculos de programação própria, a abertura acontece com a 15.ª edição do Vinte e Sete – Festival de Teatro, cujo cartaz inclui um conjunto de clássicos de várias épocas, em distintas abordagens: Beckett cruzado com uma evocação do actor Ribeirinho do cinema português da década de quarenta; Tennessee Williams numa tradução de Jacinto Lucas Pires para a encenação de Ivo Alexandre; uma introdução à ‘Odisseia’ de Homero para público infantil; as grandes tragédias gregas a partir de Ésquilo, numa encenação que conta com música dos Dead Combo ao vivo; o D. Quixote de Cervantes na releitura do dramaturgo português do século XVIII António José da Silva. A dramaturgia contemporânea entra no festival com uma peça que, de forma inédita, reúne em palco as companhias Ensemble e Palmilha Dentada.

Ao longo do trimestre o D. Quixote é revisitado em dois outros momentos: numa versão feminina da personagem pela polaca Pina Polar e numa criação conjunta das companhias Urze Teatro e Chão de Oliva (Sintra).

O teatro a partir de textos clássicos tem ainda outro grande momento em Abril, com uma nova encenação de ‘Frei Luís de Sousa’ pelo actor e encenador Miguel Loureiro, numa co-produção do Teatro Nacional D. Maria II.

Antes disso, no dia 27 de Abril, antecipando a celebração do Dia Mundial da Dança, apresenta-se ‘Reviravoltas’, uma reinterpretação de danças populares portuguesas por um conjunto de ex-bailarinos da Companhia Nacional de Bailado e do Ballet Gulbenkian.

A dança tem um segundo momento com ‘Nem a Própria Ruína’, um projecto resultante do ciclo Palcos Instáveis, com o apoio da Companhia Instável e do Teatro Rivoli, que parte do álbum ‘10.000 anos depois entre Vénus e Marte’, de José Cid.

No domínio da representação, agora com tónica na comédia, notas para a ópera cómica contemporânea ‘As Sete Mulheres de Jeremias Epicentro’, a peça ‘Selfie’, com o actor brasileiro Miguel Thiré e o português João Jesus, e o espectáculo de stand up comedy de Eduardo Madeira e Miguel Marques.

O Serviço Educativo inclui alguns workshops e vários espectáculos: além das sete peças incluídas em nova edição da MAPI – Mostra de Artes Para a Infância, há ainda um espectáculo para bebés, ‘Meu’, e um musical, ‘Coisas Que Não Há Que Há’, numa parceria do Coro Lira e do Teatro do Frio.

Na área do cinema, estão agendadas mais sessões mensais do Shortcutz Vila Real e seis grandes filmes do circuito independente nacional e internacional, incluindo, ‘Coração Negro’, de Rosa Coutinho Cabral, e ‘Colo’, de Teresa Villaverde, com o actor nosso conterrâneo João Pedro Vaz.

Por fim, a música tem como cabeças-de-cartaz Miguel Araújo e Tiago Nacarato, além do ciclo do Café-Concerto com quatro propostas da nova música portuguesa que fundem influências internacionais e o cancioneiro lusitano contemporâneo.

 

Mais informações:

www.facebook.com/teatrovilareal

www.instagram.com/teatrodevilareal